terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Goodbye Summer, Hello Autumm

Chego a casa sozinha, cheira a torradas no 3º andar, alguém ouve um c.d só de piano ... estou a gostar de ouvir mas não consigo identificar ... muito genérico de série de N.Y. mas gosto.
Já é Outono, só no Outono a luz do fim de tarde tem este tom dourado que apazigua tudo em volta .
Leio um pouco sentada na cama com o gato a dormitar nas minhas pernas ... tão bom.
Há silêncio, as meninas chegam mais tarde com o pai.
Tanto para fazer mas não quero saber, vou aproveitar a golden hour com tudo a que tenho direito : livro, gato, leite e um travesseiro e esta luz como companhia ...
Bem vindo Outono :)



quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

Vizinhos

Tenho a sorte de viver num prédio onde tratamos os vizinhos pelo nome, onde se trocam mais palavras do que os habituais bons dias e onde de facto se exercem as prácticas de boa vizinhança: respeito e solidariedade.
Sei que há sempre quem me desenrasque uma cebola ou 3 ovos ou uma caneca de farinha ou outra coisa qualquer, assim como eu tenho todo o gosto em ajudar quem me vier bater à porta.
Este fim de semana, o nosso vizinho da frente, que trabalha em alumínios, veio instalar uma gateira na porta da cozinha, em troca ofereci-lhe um saco de pêras e cebolas que trouxe de casa dos meus pais :)
O mundo seria tão melhor se simplesmente fossemos educados uns com os outros e mostrássemos gratidão pelos pequenos gestos do dia a dia ...




Autora : Madalena Matoso via


terça-feira, 16 de Setembro de 2014

Freedom


Afinal o tão anunciado Verão foi sol de pouca dura ( literalmente); depois de apenas uns dias de sol a chuva chegou em força (embora o calor se mantenha :p).
Com a chuva a roupa para lavar começou a acumular-se e a tampa do cesto já nem fechava; no sábado aproveitei uma aparente trégua da chuva e lavei praticamente tudo!
Se  há um ano atrás andava desorientada porque não estava a conseguir dar conta da montanha de  roupa que se ia acumulando e que tinha para passar, de lá para cá decidi não me chatear mais com a roupa.
A principal medida tem a ver com o facto de ter decidido deixar de passar a roupa a ferro. Para isso, depois de lavada, sacudo-a  bem e estendo-a direitinha e quando a apanho tenho o cuidado de a colocar  direitinha em cima da cama; o ideal é dobrar logo a roupa e colocar de parte as peças que precisam mesmo de serem passadas a ferro. Posso dizer que reduzi em cerca de 80% o volume de roupa que tenho para passar, tornando-se assim muito mais fácil manter a roupa organizada assim como a  minha sanidade mental!
Este post vem a propósito de um outro post  que li e que achei engraçado pois revejo-me completamente nas suas palavras  :)
E vocês, qual é a vossa rotina para tratarem da vossa roupa?




domingo, 14 de Setembro de 2014

Reflexões

Cá estamos nós nas vésperas de mais um regresso às aulas. Já fui à reunião, já comprei o material escolar e amanhã lá vou eu deixar a mais velha na escola, enquanto a pequenita vai comigo para o Colégio ( este ano está outra vez comigo).
Na reunião a professora lembrou-nos que este ano vai ser particularmente exigente pois lá para Maio temos os Exames do 4º ano ...
What's the point?? A sério. Cada vez mais me questiono sobre o nosso sistema educativo; eu sei que basicamente sempre foi assim, com algumas nuances desde o tempo dos nossos pais, mas basicamente o objectivo é empinar matéria, quase como se fossemos uns gansos a sermos preparados para nos tornarmos em foi gras !
É esta imagem que ultimamente me persegue, a minha filha com um funil nos ouvidos e a professora a debitar matéria até o cérebro dela se transformar em papa ...
Ela gosta de andar na escola, ela gosta da professora, até tem boas notas, mas é demasiada matéria demasiadamente formatada, sem dar margem absolutamente nenhuma à criatividade, sem dar azo a que se coloquem questões e quando estas são colocadas a resposta é só uma : o programa é este, a matéria é esta e tu tens de aprender! E aprender é muito mais do que isto, aliás aprender nem tem nada a ver com isto ... mas isso daria aqui pano para mangas!!
Eu própria estou enleada nesta teia, porque sou educadora de infância, e nos últimos anos a educação pré escolar tem sofrido uma pressão tremenda para ficar cada vez mais escolarizada, e curiosamente essa pressão vem por parte dos pais; cada vez mais se exige que as crianças aprendam a escrever, a ler e a fazer cálculos matemáticos desde tenra idade, desvalorizando-se a importância de brincar, de observar, de questionar, de criar ...
É tão mais fácil compactuarmos com o sistema... quando chegou a altura da minha filha mais velha ir para o 1º ano nem equacionei outra alternativa mas agora tenho reflectido tanto sobre o assunto, até porque a mais nova vai fazer quatro anos e em breve chegará a altura de também ela ingressar no 1º ciclo...
No nosso país o ensino doméstico é já uma realidade ( rara) nalgumas famílias, mas, um pequeno parênteses,  isso implica que um dos pais fique em casa enquanto o outro vá trabalhar de forma a terem uma fonte de rendimento o que no nosso país é um bocadinho complicado para o comum dos mortais... mas, voltando ao assunto, pelo que sei também estas crianças têm de fazer os exames, logo têm obrigatoriamente de aprender as matérias; no entanto a margem de manobra é incomparavelmente maior quando se ensina em casa, o ritmo é outro, as linguagens são outras, há a possibilidade de se explorarem outras temáticas das mais diversas maneiras e a troca de saberes dá-se de uma forma muito mais estreita, pessoal, humana e não de forma autómata como se dá nas nossas escolas, mesmo que os professores sejam pessoas incríveis, como é o caso da professora da minha filha, mas isso não basta pois não ?



Deixo-vos aqui dois exemplos de homeschooling, um nacional e outro internacional. Sigo ambos os blogues nos quais, além do ensino doméstico, são abordados muitos outros temas interessantes.


Fica ainda aqui o link para a Associação MEL que defende e promove formas alternativas de educar os nossos filhos.







sexta-feira, 12 de Setembro de 2014

Pão

No fim de semana passado fui ao aeroporto buscar uma amiga que regressava de S.Francisco.
Decidimos ir tomar o pequeno almoço ao Eric Kayser no Chiado; já tinha ouvido falar tanto deste espaço mas nunca tinha lá ido e domingo foi o dia!
Pedimos o menu pequeno almoço que consiste numa bebida quente, um sumo de laranja natural, um croissant ou um pain au chocolat ( em  francês soa melhor :) ), uma taça com algumas fatias de diferentes tipos de pão e finalmente um frasquinho de doce, mel e manteiga.
O pão é realmente muito bom e fiquei com vontade de regressar para conhecer um pouco melhor o que eles lá fazem.
Uma das lembranças que a minha amiga trouxe de S.Francisco foi um magnífico pão da conhecida casa Tartine; um pão enorme, com uma crosta estaladiça e uma boa textura e consistência com um sabor ligeiramente azedo; é delicioso para todo o tipo de sandes e também para torradas. Adorei!
Já que estamos numa de pão, e se o mau tempo se mantiver durante o fim de semana, estou com vontade de experimentar esta receita; pelo que li é facílima e o resultado, dizem, é bastante satisfatório; portanto como já estou a entrar em modo Outono nada melhor do que experimentar fazer pão manualmente pela 1ª vez num fim de semana chuvoso :)
Depois mostro o resultado!




receita de pão caseiro perfeito

via



Bom fim de semana!



quarta-feira, 10 de Setembro de 2014

S.O.S. Azulejos

Quando estudava em Lisboa e passava por alguns antiquários que existiam ali entre o Príncipe Real e o Rato, perguntava-me sempre de onde viriam algumas objectos de arte sacra, azulejos e etc
Com certeza que estas lojas só devem vender objectos cuja proveniência e legalidade não deve levantar qualquer tipo de questão ... mas nem sempre isso acontece, e o que se vê um pouco por todo o lado são fachadas de edifícios, mais ou menos nobres, serem completamente delapidados ao longo dos anos.
É triste, é preocupante e é criminoso atentarem sobre o património alheio e no fundo património que acaba de ser de todos nós; os azulejos são um dos ex libris do nosso país devemos preservar e não destruir, saquear e vender o que pertence a todos nós.
Não poderia deixar de concordar e partilhar este post da Rosa Pomar.
Da próxima vez que virmos azulejos à venda devemos questionar a pessoa da sua proveniência, de forma educada condenar a atitude e NÃO COMPRAR!


segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

Literatura Infantil ( ou não) - Lisboa

Este foi outro dos livros que não resisti a comprar na Feira do Livro; já o tinha namorado há uns tempos atrás e não resisti às ilustrações maravilhosas sobre Lisboa!
Estas são só algumas, lá dentro há muitas mais que valem a pena serem apreciadas :)











Estas duas últimas ilustrações são dos jardins da Gulbenkian; nas férias fomos lá passar a tarde; já não ia lá há algum tempo e de facto é um dos espaços mais cool da cidade! Vê-se famílias e amigos a fazerem piqueniques, pessoas sozinhas ou com a sua cara metade a ler, aliás o que se vê mais são pessoas a ler um pouco por todo o lado, o que é fantástico!
O jardim é muito bonito, com imensos recantos acolhedores, além disso no edifício principal há sempre exposições que valem a pena uma visita e ao domingo não se paga ;)
Gostei imenso do ambiente e recomendo um passeio!