quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Coisas



Gosto deste exercício, de olhar pela janela ou andar pela rua e reparar em coisas que me cativam a atenção, coisas que interrompam por um instante o automatismo dos dias, coisas que pela sua simplicidade me fazem parar e sorrir ...







Já tinha fotografado esta porta há uns tempos atrás ... a senhora anda a pedi-las, pinta a porta nestas cores e está à espera de quê? ;)
Por sorte desta vez não apareceu! Ufa!




segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Literatura Infantil - Histórias da manhã cedo


Ultimamente ando com  tanta dificuldade em deitar o nariz de fora dos lençóis ...
Mas depois lavo a cara, espreito o quintal da vizinha enquanto bebo uma caneca de café com leite e o meu olhar é atraído para rasgos de cor que rompem o cinzento dos dias; sorrio, respiro fundo e saio para a rua.



Quando o sol deita o nariz de fora
da almofada das nuvens
o autocarro da manhã
abre a boca na primeira paragem.


Quando o sol deita o nariz de fora
o pai pega na mala,
enrola o sono no travesseiro
e desce a escada a correr.


Quando o sol deita o nariz de fora
a mãe sacode as migalhas de pão fresco
e põe a chaleira a cantar
com a água a ferver.


Quando o sol deita o nariz de fora,
o gato enrosca-se mais
no primeiro raio de luz
e espera as sopas de leite.


Quando o sol deita o nariz de fora, 
a vizinha zanga-se 
com as chinelas
que brincam às escondidas.


Quando o sol deita o nariz de fora,
no céu a lua
envergonhada esconde-se 
a dizer " até logo".


E de repente a cidade
parece um formigueiro
num monte de açucar.


Ainda bem que hoje o sol deitou o nariz de fora da almofada das nuvens :)



Ilustradora : Cristina Malaquias
Coleção Caracol - Plátano Editora

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Ainda sobre a gratidão

Não posso deixar de mencionar o imenso prazer que tem sido conhecer outras pessoas neste "universo blogosférico".
A Adriana é uma dessas pessoas. Já aqui mencionei que no Verão passado tive a alegria de a conhecer e, confere, é mesmo uma pessoa super doce e simpática, além de ser extremamente talentosa :)
Adoro o blogue da Adriana desde o 1º momento que o conheci, onde  as pequenas grandes coisas são celebradas de forma simples e honesta.
Uma das coisas que eu gostava de ver eram também os posts sobre o snail mail; sempre adorei escrever e receber cartas e aquelas eram lindas, recheadas de miminhos criativos que me enchiam o olho!
Neste Natal a Adriana teve a gentileza de me surpreender com uma dessas cartas :)
Adorei!! E reparem na aguarela da janela do Chão Verde que ela pintou, não é linda?


foto via

A todas as outras pessoas que por aqui passam e têm a gentileza de dedicar-me algum do seu tempo e deixar umas palavras o meu muito obrigada!
Sabe tão bem obter algum feedback do que vamos escrevendo aqui, por isso obrigada minhas queridas, vocês sabem quem são ;)

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Grata

Pelas pessoas que tenho conhecido na blogosfera e que nos surpreendem pela sua generosidade.
Não costumo participar em giveaways mas recentemente participei pela 1ª vez num, no L'avion Rose da Val, por quem tenho uma grande estima e de quem adoro o blogue pela visão e arrojo! A Val comemorava o 2º aniversário do blogue e decidiu oferecer dois bonitos trabalhos em costura feitos por ela. Eu fui a feliz contemplada de um lindo estojo feito com todo o carinho pela Val e fiquei muito contente!
Mas a minha sorte não acabou por ali; dias depois não quis deixar de dar os parabéns à Vera, pelo 9º aniversário do seu blogue perdi o fio à meada, que já sigo há algum tempo, pois acho a Vera muito talentosa e com trabalhos fabulosos e super criativos.
Para assinalar a data a Vera decidiu oferecer aos leitores do blogue um presente extremamente generoso, nada mais nada menos que um workshop de iniciação ao croché!
Também não queria acreditar quando percebi que tinha ganho! Uma oportunidade destas não surge todos os dias ...
Foi no passado sábado que nos encontrámos; adorei conhecer a Vera e o seu atelier, onde pude ver alguns dos seus trabalhos, e ao vivo conseguem ser ainda mais bonitos!
A Vera, além de dominar as agulhas e as linhas, é também dotada de muuuuita paciência pois passou a tarde a ensinar-me a mim e à Rita ( a outra feliz contemplada) os passos mais básicos do croché; parecíamos duas crianças de 4 anos ( sim, porque a filha dela com 9 já faz croché de olhos fechados!!) se não estivéssemos tão compenetradas no nosso trabalho era com certeza hilariante ver as nossas figuras :)
Fiquei muito feliz com esta oportunidade e com a generosidade da Vera; foi uma excelente professora e ainda teve o trabalho de criar esquemas para nós praticarmos em casa; eu assim tenho feito, com alguns resultados super cómicos, mas estou a sentir-me muito entusiasmada e mal posso esperar pelo próximo fim de semana para continuar a aprender mais alguns passos que a Vera tão generosamente decidiu oferecer!

Obrigada :)



quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Cores e formas - No Inverno

Tivemos uns dias de sol maravilhosos, se não fosse o frio quase nos esquecíamos que estamos no Inverno.
Andei ocupada, andei apressada, mas mesmo assim ia reparando nas singularidades desta estação. "Tão bonito" pensava eu " amanhã trago a máquina!" mas os dias passaram e só ontem quando o tempo começou a mudar é que eu peguei na máquina para registar o que me chamou a atenção .
Mas oh! Onde está o sol? Que chatice, nuvens! Com o céu azul ficava muito mais bonito ...
Foi quase sem sol e umas vezes sem azul que tirei estas fotos; apenas algumas de muitas outras que pretendo tirar; mesmo quando tenho um grupinho de taxistas a olharem de soslaio para mim ou as coleguinhas da minha filha que lhe perguntavam " porque é que a tua mãe está a tirar fotografias àquela árvore?" :)




Esta árvore chama-se Melia Azedarach e é uma das minhas preferidas, ao pé da escola da minha filha existem várias, e é no Inverno, depois de perderem as folhas, que ficam assim, engalanadas com estas bolinhas amarelas, parece que foi desenhada por um qualquer designer escandinavo!
Adoro as formas dos ramos e das bolinhas, o castanho e o amarelo em contraste com o céu azul, ou então, quando chegam as nuvens, pedimos emprestada uma parede de um prédio qualquer para servir de fundo :)






Os plátanos também vão perdendo as suas folhas e pendidos nos seus ramos vemos estes ouriços que mais parecem bolas de Natal que alguém se esqueceu de tirar ...




Associo as laranjas a um fruto de Verão mas é agora que as podemos encontrar em todo o seu esplendor; acho que é uma maneira de nos trazerem um pouco de sol naqueles dias mais cinzentos!


sábado, 10 de janeiro de 2015

A nossa voz

Estreou no passado dia 8 a série documental " O povo que ainda canta" do realizador Tiago Pereira responsável também pelo projecto " A Música Portuguesa a gostar dela própria".
Conheci este último projecto há relativamente pouco tempo mas achei-o tão interessante que o guardei nos favoritos e sempre que posso vejo um ou dois episódios.
Com este trabalho o Tiago Pereira conseguiu um retrato transversal e muito abrangente do panorama musical português, que nos revela músicos com as mais variadas linguagens e origens, sem qualquer tipo de preconceito, muito pelo contrário, com um enorme orgulho pela enorme diversidade etno-musical que resulta de um legado ancestral que dá voz a todo um povo e que todos nós deveríamos conhecer um pouco melhor.
O Tiago Pereira acaba assim por dar continuidade ao trabalho iniciado pelo seu predecessor Michel Giacometti que já tinha realizado uma série documental idêntica no século passado.
Tudo isto para mim é novidade, apesar de me interessar pelo nosso património etnográfico, só agora fiquei a conhecer o trabalho tanto de um como outro, portanto se cometi alguma gaffe que me perdoem os conhecedores.
Mas fica a sugestão para acompanharem esta nova série que passa na RTP2 às quintas feiras pelas 22h45m e espreitem também os episódios da Música portuguesa a gostar dela própria.



E isto comove-me sempre :) https://vimeo.com/116051229



terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Por aqui

Almoços no terraço para aproveitar este solinho maravilhoso.



O encantamento quase infantil de ver os bolbos despontarem e sentir o cheirinho dos jacintos.



A 1ª de muitas caminhadas que pretendo dar este ano.
Depois de uma breve pesquisa, descobri que aqui perto, no concelho de Mafra, havia uma aldeia abandonada desde os anos 60 mas cuja existência data do séc. XVI!
Eu cá adoro uma boa caminhada no meio do mato e adoro ruínas portanto foi uma estreia perfeita!
Aqui ficam algumas fotos da aldeia de Broas.












Esta descrição estava numa caixa ( cache) de geocaching que encontramos na aldeia; actividade praticada pelo meu cunhado e que me começa a suscitar cada vez mais interesse ;)