sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Das coisas simples

Este Verão tem sido completamente atípico; ainda só fui duas vezes à praia e de resto temos ficado por casa, com saídas pontuais a um jardim ou ao cinema, mas de resto estas férias têm-me sabido a um fim de semana ultra comprido!
Não houve aquela rotina de fazer e desfazer malas para ir para aqui ou para ali, nem a rotina de preparar o saco da praia com toda a parafernália associada a uma ida à praia com duas crianças!!
As manhãs passam lentas e pachorrentas e, as tardes também :)


Ontem fomos à praia, tivemos sorte com o tempo, pois quando lá chegamos estava sol, o que nem sempre acontece nas praias da linha de Sintra ...
Mas não fomos a uma praia qualquer, fomos à "minha" praia : a praia da Aguda <3
Desde que temos crianças deixamos de lá ir por causa do acesso, que, para quem conhece, não é fácil, mas quem se atreve a descer sabe que vale a pena cada degrau!
A praia é maravilhosa, com pouca gente, e, depois dos temporais do Inverno passado, a natureza até foi benevolente e generosa com esta praia; com um extenso areal na praia principal, onde é possível tomar umas belas banhocas na maré vazia, e com dois "espaços complementares": uma pequena e bonita praia à esquerda ( para onde vão os surfistas normalmente) e uma zona de rochas com pequenas piscinas naturais e uma espécie de enseada onde se pode passar um bom bocado com as crianças.


Como diria a minha avó Preciosa " Bah! É uma praia! Com ondas, areia e rochas ... o que é que tem de especial?" ... O que tem de especial é que esta é a "minha" praia, onde eu cresci, onde aprendi a nadar, onde conheço cada rocha e cada poça; onde me sinto em total comunhão com a natureza, com o sol, a areia e a água; a única praia "bravia" onde me atrevo a entrar e a nadar, onde não sinto medo das ondas e onde me sinto como "peixe na água", alerta mas benvinda!
Portanto ontem passamos uma tarde fantástica na praia da Aguda e atá a minha filha mais velha, que desceu pela 1ª vez, disse que esta passou a ser a sua praia favorita :)


Este fim de semana recebemos os últimos hóspedes na Casa do Chão Verde. Está a ser uma experiência muito interessante, temos conhecido pessoas de outros países com outras vivências e tem sido muito enriquecedor!
Tive o prazer de receber uma pessoa que admiro e de quem gosto muito e que tinha muita vontade de conhecer, a Adriana . A Adriana é um doce de pessoa e fiquei muito feliz de partilhar um espaço que me diz tanto com ela e com o seu namorado que também gostei muito de conhecer!
Para a semana vamos lá passar os nossos últimos dias de férias, espero que o tempo seja nosso amiguinho!

sexta-feira, 15 de Agosto de 2014

Copo meio vazio

Todos os anos é a mesma coisa, quando chega o 15 de Agosto começo a ver o copo meio vazio e a sentir o síndrome de domingo à tarde; ainda tenho bastante tempo para aproveitar o domingo, neste caso as férias, mas já vislumbro Setembro, um mês de que até gosto tanto não fosse um "pormenorzinho" que estraga tudo : voltar ao trabalho ...
Por causa da operação às amígdalas da mais nova, temos ficado por casa, pois não podemos ir à praia nem à piscina, mas sinceramente com o tempo que tem estado acabo por não ficar com muita pena.
Tenho aproveitado para ficar por casa, num ritmo meu, sem correrias, nem horários para cumprir; tenho arrumado gavetas ( literal e metaforicamente), tenho feito algumas tarefas que esperavam há meses por alguma atenção e que me têm dado particular prazer, nomeadamente restaurar a mobília exterior e pensar em como posso transformar o terraço num sítio mais convidativo e acolhedor.
Tenho lido mas também tenho passado demasiado tempo online, o que me incomoda um bocado,
também tenho aproveitado os (raros) momentos de silêncio para reflectir naquilo que quero fazer depois das férias, pequenas alterações na rotina cá de casa e introduzir pequenas mudanças que espero que me tragam mais paz e equilíbrio.


Para ler no fim de semana :





quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

Das avós



Há dois anos atrás, quando fomos buscar alguns pertences da família do meu sogro à casa da terra ( antes dela ser vendida), trouxe bastantes objectos, um deles foi este açucareiro.


Depois da minha avó paterna ir para um lar, o meu pai foi até casa dela e trouxe algumas coisas que ela lá tinha, pois a casa é tão velhinha que corre o risco de uma derrocada.
 Há uns anos atrás o louceiro onde ela tinha as suas coisinhas caiu e tudo o que ela tinha de mais antigo e valioso partiu-se.
Ao mostrar-me alguns objectos da minha avó, para ver se eu queria alguma coisa, a única coisa que me chamou a atenção foi este açucareiro que trouxe comigo.



Quando cheguei a casa e guardei este junto ao 1º ocorreu-me que seria interessante ter um açucareiro da minha avó materna, liguei à minha mãe que me disse que sim, que tinha lá um mas que lhe faltava a tampa.
Pedi-lhe que mo trouxesse na mesma e agora tenho estes três açucareiros que pertenceram às nossas avós, minhas e uma do meu marido.


Não são bonitos?

segunda-feira, 11 de Agosto de 2014

Janelas e Azulejos - Tomar

Para encerrar o capítulo sobre as nossas pequenas férias em Tomar, deixo aqui o registo de algumas janelas e azulejos que encontrei pela cidade.















E já agora ficam aqui duas portas que achei bonitas


Finalmente, e para terminar, a janela mais emblemática não só de Tomar como provavelmente do país: A Janela do Capítulo no Convento de Cristo.
Pra variar fiquei sem bateria durante a nossa visita ao Convento -_-


sexta-feira, 8 de Agosto de 2014

Made in Portugal

Quando agora estivemos em Tomar conhecemos dois espaços muito giros de que gostamos muito.
O 1º foi a loja da Tia Anica; uma pequena mercearia onde se vende de tudo um pouco, desde brinquedos, (feitos de madeira a lembrar outros tempos), passando por cd's de música portuguesa, sabonetes, doces, licores, conservas, compotas, assim como biscoitos, pão e muito mais.
A dona recuperou os móveis que já existiam na loja e a decoração está muito cuidada e bonita, portanto fica aqui a dica, se passarem por Tomar façam uma visita à Tia Anica!




Outro espaço que conhecemos por acaso e do qual ficamos fans foi a Casa Matreno, uma tasca da década de 50 muito bem preservada, com um ambiente desprentensioso e muito arejado e com comidinha caseira e deliciosa ( recomendo o arroz de pato).
Mesmo em frente fica a Casa das Ratas ( que pertence aos mesmos donos), antiga adega transformada em restaurante com um ambiente castiço e com a mesma comidinha caseira.
Desta vez só deu para ir à Casa Matreno mas pretendemos voltar no Outono para conhecer a Casa das Ratas.
Se forem a Tomar não deixem de passar por aqui que não se vão arrepender!








quarta-feira, 6 de Agosto de 2014

Afinal

Quando já me tinha mentalizado de que íamos passar as férias em casa, deparo-me com uma oportunidade imperdível para passar uns dias em Tomar.
Embora goste muito de estar em casa, precisava urgentemente de mudar de cenário pois já estava a sentir-me claustrofóbica.
Estes dias vieram na altura certa; Tomar é uma cidade relativamente pequena, com um bonito centro histórico e cheia de história, sempre com o rio Nabão e o Convento de Cristo a ocuparem um lugar de destaque na cidade.
Pudemos descansar e passear pelas suas ruas, observando pormenores nas fachadas das casas que remontam a séculos passados e conhecer espaços novos ( para nós ) muito interessantes que mostrarei num outro dia.















quinta-feira, 31 de Julho de 2014

Literatura Infantil - Os Quintais


Uma das coisas que me dá prazer é chegar a casa, calçar os chinelos, aquecer uma caneca de leite com café e ir para a janela da cozinha espreitar os quintais dos vizinhos.
Olho atentamente para cada árvore e aprecio as mudanças que cada estação lhes imprime; agora estão carregadas de fruta: ameixas, pêras e maças; gosto de observar os pássaros e os gatos; gosto dos cenários que os meus vizinhos criam deixando um regador aqui e um alguidar colorido acolá ...
Fico sempre muito mais relaxada; esta simplicidade das plantas e dos bichos fazem-me sorrir e relativizar muita coisa, ocorre-me a frase da Catarina " A vida resolve-se sozinha"...
Estou finalmente de férias ...  Ah que bom! :)







Este é o Gatuno, o gato vadio que anda pelos quintais deste livro.
Ontem recebemos a visita de um gatuno, infelizmente não era um gato ... levou-nos dinheiro e pequenas peças em ouro que tínhamos desde crianças, também levou o meu anel de noivado e as nossas  alianças ... custa-me muito perder coisas que fazem parte da minha história e agora da nossa enquanto família ...
E eu moro num quarto e último andar!! Por isso cuidado, não facilitem e não ponham as coisas de valor na 1ª gaveta da cómoda como eu :p